23 de out de 2017

Óleo de côco vira música

Côco: tem coisa mais veganamente deliciosa? Recentemente óleo de côco virou moda no mundo inteiro, graças aos seus inúmeros benefícios. Ele também pode ser usado para a pele, o que inspirou a produtora de 'house music' berlinense a fazer uma música em homenagem a esse alimento vegano versátil e... sexy!
⚫⚫⚫


17 de out de 2017

Aliança animalista aciona justiça contra Kaporos, nos Estados Unidos


Uma aliança de ONGs em Nova Iorque está acionando a justiça para pôr fim a um ritual que judeus ortodoxos fazem uma vez por ano, torturando galinhas como forma de se eximir de seus pecados (sim, religião faz isso com a cabeça das pessoas). 

Milhares de galinhas são torturadas e jogadas em sacos de lixo para morrer. Além da crueldade, a prática quebra toda e qualquer regra de higiene que os cidadãos tem que obedecer.

A Aliança está atualmente crowdfunding para conseguir reunir verba para acionar a justiça contra essa crueldade, munida de evidência de sofrimento das galinhas que foram resgatadas.

Vamos ajudar? Práticas religiosas envolvendo animais não fazem parte da liberdade de religião. Isso se chama crueldade, o contexto não importa. O sucesso desse processo pode ter repercussão internacional. 

15 de out de 2017

Gucci planeja criar fazenda de cobras

Esta semana vi muita gente compartilhando posts sobre a decisão da grife de moda Gucci abandonar peles de suas coleções, dizendo que não é moderna. Mas pelo visto para a Gucci, pele é só aquilo que reveste o corpo de mamíferos. Répteis, os animais mais vilificados do mundo, podem sofrer o pão que o diabo amassou, como esse vídeo denuncia, além de outros animais (AVISO: CENAS FORTES).

A ideia é essa mesma, apesar de soar bizarra: criar fazendas de cobras na Ásia para que sua pele possa ser usada em acessórios caros como bolsas e cintos. A desculpa é que isso ajudaria a coibir o tráfico ilegal de 'peles exóticas' no mundo, um negócio que movimenta $1 bilhão de dólares por ano. A empresa jogou até a palavra sustentabilidade no meio para soar melhor. Mas isso é o mesmo que combater a prostituição com bordéis.  

O problema é que empresas não questionam a exploração animal per se; apenas se preocupam com a sua imagem, que fica manchada quando vaza na empresa que as peles que usam vem de uma fonte 'ilegal'.

Eu consigo imaginar o horror que uma fazenda dessas representa. E você?

7 de out de 2017

O nazismo da preferência por 'cães de raça'


Como voluntário de um abrigo de cães e tendo acompanhado o horror da vida dos vira-latas e outros animais abandonados pelas ruas do Brasil, não me surpreende essa notícia de que as pessoas desistiram da feira de adoção ao saber que não haveriam cães de 'raça' (um conceito que, em si, é nazista). Pessoas que querem raça não gostam de cães, gostam de status. Pessoas que consideram um animal de raça superior a um vira-lata, como se a vida fosse superior se acompanhada de um rótulo, são pessoas com uma visão eugenista do mundo, onde existe uma hierarquia biológica. Não existem raças, de pessoas ou animais: existem apenas seres senscientes que querem amar e com um enorme potencial para serem maravilhosos.


5 de out de 2017

Galinhas resgatadas e amadas

Galinhas resgatadas de Kaporo, ritual cruel feito por judeus ortodoxos, recebem carinho e fisioterapia em santuário americano.

26 de set de 2017

Guggenheim cede à pressão e cancela obras com crueldade animal

Uma exibição no museu de arte moderna Guggenheim em Nova Iorque teve que ser modificada por pressão de ativistas que fizeram uma campanha online para evitar que trabalhos envolvendo exploração cruel de animais fossem expostos. 

A exposição inclui trabalhos de artistas conceituais chineses e entre as obras criticadas estão um vídeo com briga de cães e uma outra obra envolvendo insetos e répteis vivos. 

O museu lançou uma nota bem aguada, mais focado em demonizar os ativistas e acusá-los de censura do que reconhecer que crueldade com animais não é aceitável. Censura é calar idéias. Arte que envolve animais reais não é aceitável porque os animais não podem consentir.


18 de set de 2017

Casal brasileiro faz campanha para abrir café vegano em Londres



Meus amigos Neni e Vanessa Almeida, cujo processo de veganização eu venho acompanhando há anos, estão fazendo uma campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) pelo website Indiegogo para abrir um café vegano em Londres. Neni e Vanessa (foto) são totalmente dedicados a difundir o veganismo através da marca Essential Vegan e merecem o seu apoio! 

Visite aqui a página da campanha!🐮🐄🐶😋